Apuração e demonstração do resultado do exercício

6. Apuração e demonstração do resultado do exercício

6.1.Objetivo da apuração do resultado do exercício

As receitas e despesas de uma empresa representam, respectivamente, acréscimo e diminuição de seu patrimônio líquido. Essas receitas e despesas são controladas em contas específicas que, em geral, são de grande volume, chamadas contas de resultado. Ao final de cada exercício, é necessário que essas contas sejam encerradas para que:

  • possa ser conhecido o resultado do exercício;
  • esse resultado possa ser apresentado de modo ordenado e de fácil entendimento.

Voltar ao índice

6.2.Encerramento das contas de resultado

O encerramento das contas de receitas e despesas consiste em fazer um lançamento em todas as contas envolvidas de modo a deixá-las com saldo igual a zero, cuja contrapartida seria dada em uma única conta, denominada “Resultado do exercício”. Conseqüentemente, as receitas serão creditadas e as despesas, debitadas na conta “Resultado do exercício”. A diferença entre os débitos e créditos da conta “Resultado do exercício” será:

  • lucro, se for credor;
  • prejuízo, se for devedor. Naturalmente, se o total das receitas for igual ao das despesas, a empresa não terá obtido nem lucro nem prejuízo, isto é, obterá resultado nulo.



Voltar ao índice

6.3. Resumo da apuração do resultado do exercício

Objetivo: encerrar as contas de resultado (receitas e despesas) e apurar o resultado (lucro ou prejuízo) obtido pela empresa no período.

Sistemática de apuração do resultado:

6.3.1. Apurar saldo final das contas de resultado

6.3.2 Encerrar todas as contas de receitas e despesas em contrapartida de uma conta transitória denominada “Resultado do exercício”.

6.3.3 Calcular e contabilizar o imposto de renda

6.3.4 Calcular e contabilizar as participações estatutárias

6.3.5 Transferir o LLE para “Resultados acumulados”

Caso houvesse prejuízo no exercício, o lançamento seria:

  • D = Resultados acumulados
  • C = Resultado do exercício

Voltar ao índice

6.4. Objetivo da Demonstração do Resultado do Exercício

A empresa deve informar aos leitores de seu balanço como foi obtido o resultado do exercício que foi transferido para a conta “Lucros ou prejuízos acumulados”. Essa informação sobre a formação do resultado do exercício é dada, em sua maior parte, através da demonstração do resultado do exercício, que nada mais é do que uma apresentação das contas de receitas e despesas feita de modo ordenado. Tal ordenação baseia-se, principalmente, na divisão de receitas e despesas entre operacionais e não operacionais e em sua apresentação na forma indicada pela legislação vigente.

Voltar ao índice

6.5. Despesas operacionais e não operacionais

As despesas operacionais são todos os gastos desembolsados ou previstos, que se relacionam diretamente com o objeto social de uma empresa.

Imaginemos uma empresa comercial que venda móveis. Os salários e encargos do pessoal da administração, do setor de vendas ou dos outros setores são diretamente relacionados com o objetivo do negócio, por isso são operacionais.

Resumindo, são considerados custos e despesas operacionais todos os gastos realizados com o objetivo final de gerar receitas e diretamente relacionados com a natureza específica dos negócios de uma companhia.

Analogamente, as despesas não operacionais são aquelas não relacionadas diretamente com a natureza específica dos negócios de uma companhia, tais como, baixa de bens do ativo permanente e perdas com sinistros.

Voltar ao índice

6.6. Receitas operacionais e não operacionais

Guardando bastante semelhança com as despesas, temos as receitas operacionais, que são todas aquelas realizadas e que estão diretamente relacionadas com a natureza do negócio de uma companhia.

Por exemplo, se o negócio de uma empresa é vender mercadorias, o título d receita de vendas já indica sua atividade. Ou, se nos referimos a uma companhia que presta serviços, o título receita de serviços já indica o fato.

Inversamente às receitas operacionais, as não operacionais são aquelas que não se relacionam diretamente com a natureza do negócio de uma companhia, tais como, receita de dividendos e indenizações de seguros.

Voltar ao índice

6.7. Apresentação

De acordo com a legislação na forma vigente, as empresas devem adotar a demonstração do resultado do exercício na forma dedutiva ou vertical, cujas características são as seguintes:

  • Desta deduz-se o custo dos produtos vendidos, obtendo-se o lucro bruto.
  • Do lucro bruto são subtraídas as despesas operacionais, que, em geral, dividem-se em quatro grandes grupos:
    • Despesas operacionais com vendas – representadas pelas comissões, fretes para entrega etc.
    • Despesas gerais e administrativas – salários e encargos do pessoal administrativo, depreciações etc.
    • Despesas financeiras – juros e variação monetária de empréstimos etc., deduzidas das receitas financeiras.
    • Amortizações de despesas diferidas, obtendo-se o lucro operacional.
  • Somando-se ou subtraindo-se ao lucro operacional as receitas e despesas não operacionais, obtém-se o lucro antes do imposto de renda.
  • Desse valor, devemos deduzir o da provisão para imposto de renda obtendo, assim, o lucro antes das participações estatutárias.
  • Finalmente, se existirem, serão excluídas as participações estatutárias devidas a empregados, diretores etc. O saldo final é o que denominamos lucro líquido do exercício.

Voltar ao índice

6.8. Modelo simplificado da Demonstração do resultado do exercício

Receita operacional bruta
Deduções de vendas
Receita operacional líquida
Custo dos produtos vendidos
Lucro bruto
Despesas com vendas
Despesas gerais e administrativas
Despesas (-) receitas financeiras
Amortização das despesas diferidas
Lucro operacional
Receitas (despesas) não operacionais
Resultado da correção monetária
Lucro antes do imposto de renda
Provisão para imposto de renda
Lucro antes das participações
Participações estatutárias
Lucro líquido do exercício

Voltar ao índice

6.9. Modelo detalhado da Demonstração do resultado do exercício

Receita operacional bruta
100
Produto da venda de mercadorias, produtos e serviços. Valor total cobrado dos clientes, inclusive impostos.
Deduções das vendas
(30)
Imposto sobre vendas (IPI, ICMS e ISS), contribuições (PIS e COFINS), devoluções, abatimentos e descontos comerciais.
ROL
70
Receita operacional líquida.
Custo das vendas e serviços prestados
(40)
Materiais, mão-de-obra e custos gerais de fabricação gastos no processo de aquisição ou produtos dos bens e serviços vendidos.
Lucro bruto
30
Despesas operacionais Gastos incorridos no processo de geração de receitas.
Com vendas
(3)
Comissões, fretes, propaganda, material de embalagem, pessoal e despesas gerais do departamento de vendas, devedores incobráveis, garantias etc.
Administrativas
(7)
Pessoal administrativo, comunicações, processamento de dados, despesas gerais da administração etc.
Financeiras
(4)
Juros, variações monetárias e cambiais sobre empréstimos e financiamentos, líquidos de receitas financeiras.
Equivalência patrimonial
2
Receitas (despesas) decorrentes da avaliação de investimentos relevantes em coligadas ou controladas pelo método da equivalência patrimonial.
RO
18
Resultado operacional.
Receitas e despesas não operacionais
(3)
Resultado na venda de bens patrimoniais, indenização de seguros, resultados eventuais etc.
RADEI
15
Resultado antes dos efeitos inflacionários.
CMB
(5)
Contrapartida da atualização monetária das contas do ativo permanente e do patrimônio líquido. Caso PL>AP = saldo devedor; PL<AP = saldo credor.
LAIR
10
Lucro antes do imposto de renda.
Imposto de renda
Corrente
(4)
Imposto de renda que será pago no exercício.
Diferido
1
Imposto de renda incidente sobre diferenças temporárias que serão revertidas no futuro.
LAPE
7
Lucro antes das participações estatutárias – PE.
PE
(2)
Participações estatutárias. Gratificações de diretores e funcionários previstas no estatuto.
LLE
5
Lucro líquido do exercício.
Lucro líquido por ação
0,02
LLE. quantidade de ações do capital social.

Voltar ao índice